sábado, 22 de setembro de 2012

Perolas de Márcio Mendes

 

Fazer o que quero – Uma delicia

Fazer o que não quero – Necessidade

A pessoa sensata faz o que tem que ser feito

A oração é um dialogo, um relacionamento, é uma aliança com Deus.

A oração abre o coração para receber de Deus o que pediu

Viver com sensatez

Cultivar o amor com todo ardor

O COMBATE DA ORAÇÃO É O COMBATE HUMILDE, EU REZO PORQUE AMO E AMO PORQUE REZO

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

AMO VOCÊ

 

images

O amor é o carisma mais elevado.

O amor brota do coração de Deus

Nem a torrente das grandes águas poderão acabar esse amor

Deus é amor ágape, o amor perfeito

Amizade com Deus é uma experiência de reciprocidade

Mesmo que eu fale a língua dos anjos, se não tiver o amor de nada vale

Nós seremos julgados sobre o amor

Quando o perfeito vier, o imperfeito desaparecerá

Tudo o que experimentamos na nossa fé, precisa ser uma resposta de amor

Amor é decisão

Deus é amor, e eu me decido por amar incondicionalmente

O mal não é anônimo, o mal passa através da liberdade humana

O mal procura um aliado

O aliado é o homem

O mal precisa dele para se espalhar

É possível não se deixar vencer pelo mal

Vencemos o mal com o bem

O ódio com amor

a vingança pela atitude do amor

Somos chamados a conversão do coração

O AMOR VENCERÁ

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Você tem Inimigos?


Jesus termina a última das mal-aventuranças em que previne Seus discípulos contra os falsos aplausos por parte dos judeus, por terem agido da mesma forma que seus antepassados – recebendo os vaticínios dos falsos profetas.
De imediato, Jesus introduz uma nova seção com uma preposição de contraste, começando uma nova parte de Seu discurso. Lucas, como bom evangelista, reúne as várias sentenças num único texto, exortando-nos ao desapego e à mansidão, predominando o amor aos inimigos.
Esta atitude deve ser a nossa resposta como cristãos diante dos perseguidores que são os verdadeiros inimigos. Resposta que consiste no novo mandato do amor verdadeiro: “Amem os seus inimigos e façam o bem para os que odeiam vocês. Desejem o bem para aqueles que os amaldiçoam e orem em favor daqueles que maltratam vocês. Se alguém lhe der um tapa na cara, vire o outro lado para ele bater também”. Por isso, esta introdução é solene e reiterativa: “a vós que me escutais eu vos digo”, proclamará Jesus em tom solene e ritual.
Jesus enumera três formas de amor aos nossos inimigos, os quais podem ser, além de perseguidores do nome “cristão”, também inimigos pessoais por outras causas evidentemente injustas por parte dos opositores. As três formas são: fazer o bem a eles, falar bem deles, orar por eles. Isso corresponde aos três degraus em que o ódio se manifesta: a separação, a maledicência e a difamação. Se eles o fazem contra o nome de Cristo, “vocês devem fazê-lo em meu nome, porque Eu vos ordeno”. Geralmente, estas palavras de Jesus são tomadas em termos gerais para todo inimigo pessoal, mas como temos visto mais parecem ser dirigidas aos discípulos perseguidos pelo fato de serem seguidores de Jesus.
O Senhor, dirigindo-se a Seus conterrâneos e discípulos, fala também para mim e para você. No dia de hoje, temos necessidade de bons exegetas que nos indiquem qual é o alcance das palavras históricas que foram escritas com diversas intenções.
O conjunto se inicia com uma profecia de perseguição para terminar com uma linha geral de conduta pautada pelo modo de proceder divino, modelo de todo discípulo de Cristo – como o Pai é o modelo de Seu Filho. Essa conduta é rica em misericórdia. E queira Deus seja a nossa!
A Misericórdia Divina explica a existência do mal no mundo sem recorrer a um “deus do mal” como seria o dos gnósticos ou a um “diabo super-poderoso”. Deus espera a conversão do pecador e, se isso não acontece, Ele segue os passos que Jesus mostra no trecho de hoje: faz o bem também ao pecador, ou como diz Mateus: “faz sair o sol para maus e bons e derrama a chuva sobre justos e injustos”.
O “politicamente correto” não é sempre o eticamente permitido. Por isso, a Igreja será sempre condenada e perseguida quando ambas asserções não coincidirem.
O ponto fundamental, nesse texto, é que o discípulo deve ter Deus como modelo. Pois Ele é pura gratuidade, dá sem exigir nada de volta, não julga nem condena, e é bondoso e misericordioso com todos. No que se refere às reações humanas – na comunidade e na sociedade – Jesus nos ensina: “Sejam misericordiosos, como também o Pai de vocês é misericordioso”.
Terminamos dizendo que, neste Evangelho de hoje, Lucas nos apresenta um Deus que é gratuidade, que se manifesta na misericórdia. Assim, segui-Lo como discípulo, ontem como hoje, exige um enorme esforço para que essa relação de misericórdia seja característica das nossas vidas cristãs, tanto no nível pessoal como comunitário.
Padre Bantu Mendonça








domingo, 9 de setembro de 2012

E A VIDA?





90 anos do meu sogro. Minha homenagem a ele.




Eu fico
Com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita...
Viver!
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz...
Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita...
E a vida!
E a vida o que é?
Diga lá, meu irmão
Ela é a batida
De um coração
Ela é uma doce ilusão
Hê! Hô!...
E a vida
Ela é maravilha
Ou é sofrimento?
Ela é alegria
Ou lamento?
O que é? O que é?
Meu irmão...
Há quem fale
Que a vida da gente
É um nada no mundo
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo...
Há quem fale
Que é um divino
Mistério profundo
É o sopro do criador
Numa atitude repleta de amor...
Você diz que é luta e prazer
Ele diz que a vida é viver
Ela diz que melhor é morrer
Pois amada não é
E o verbo é sofrer...
Eu só sei que confio na moça
E na moça eu ponho a força da fé
Somos nós que fazemos a vida
Como der, ou puder, ou quiser...
Sempre desejada
Por mais que esteja errada
Ninguém quer a morte
Só saúde e sorte...
E a pergunta roda
E a cabeça agita
Eu fico com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita...  

domingo, 2 de setembro de 2012

Tu me Amas?

 

 

João 21,15-19 – Depois de comerem, Jesus disse a Simão Pedro: "Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?" Ele respondeu: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo". Jesus lhe disse: "Apascenta meus cordeiros". Segunda vez disse-lhe: "Simão, filho de João, tu me amas?" - "Sim, Senhor", disse ele. "Tu sabes que te amo". Disse-lhe Jesus: "Apascenta minhas ovelhas". Pela terceira vez lhe disse: "Simão, filho de João, tu me amas?" Entristeceu-se Pedro porque pela terceira vez lhe perguntara "Tu me amas?" e lhe disse: "Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que te amo". Jesus lhe disse: "Apascenta minhas ovelhas. Em verdade, em verdade, te digo: quando eras jovem, tu te cingias e andava por onde querias; quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te conduzirá aonde não queres". Disse isso para indicar com que espécie de morte Pedro daria glória a Deus. Tendo falado assim, disse-lhe: "Segue-me". Palavra da Salvação!

Um dia essa passagem chamou a minha atenção. Senti pela primeira vez que Deus falava comigo , Clívia Tu me amas? Ele não confirmava apascentas as minhas ovelhas.

Como apascentar uma ovelha se eu era a própria ovelha que necessitava de uma pastor?

Sentia a pergunta Tu me mas? E essa perguntava tinha um sentido para mim, assim, quer mesmo seguir-me?

Deus me fez essa pergunta várias vezes em tempos diferentes, nessa hora eu firmo os olhos nos olhos Dele e afirmo sim Senhor eu te amo, e quero seguir-te. Quero seguir-te. Cura-me para que um dia eu possa ser a ovelha apascentada e me torne um Pastor de outras ovelhas.

Cada vez que Deus me pergunta através dessa palavra eu sinto que é o Sim que ele quer ouvir. E sinto como um renascer;

Nesta passagem vemos Jesus perguntando a Pedro três vezes, Tu me amas? Devemos entender uma coisa, Pedro só nasceu de novo a partir desse momento, pois, Pedro era um cara que seguia a Jesus, mas não tinha se convertido verdadeiramente, com base nisso estudaremos a vida de Pedro e compararemos a Igreja de hoje.

Um dia Geo me disse você ama Jesus, mas, não prioriza Jesus. Outra pessoa disse Ele já te convida a tempos e você precisa atender a esse chamado.

Tu me amas?  Pedro reconheceu que Jesus sabia tudo e se converteu: Pedro se tornou um grande homem de Deus quando reconheceu Jesus como Salvador e sabedor de tudo sobre a vida dele, só aí ele pode começar a operar as maravilhas que Jesus operava (levanta-te e anda)

A insistência de Jesus em perguntar: "Pedro, tu me amas?" não era para envergonhar o apóstolo, mas era para que ele compreendesse que o amor que Cristo queria era outro, não um simples amor, mas o amor ágape, e Pedro compreendeu isso, porque vemos que sua última resposta mudou e ele entristeceu-se ao dizer: "Senhor tu sabes todas as coisas; tu sabes que eu te amo". Pedro demonstrou humildade suficiente para reconhecer que Jesus sabia de tudo, inclusive que Pedro o amava, mas não o suficiente, e foi essa humildade, essa resposta corajosa que fez com que o Senhor Jesus fizesse de Pedro tão grande dali em diante.

Arrogância

A arrogância Se existe uma coisa que deixa o meu coração doído, entristecido é quando encontro, quando vejo, quando conheço, quando convivo...