sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

CONTRÁRIOS - PÉROLAS DIREÇÃO ESPIRITUAL 18/02/2015 - PE. FÁBIO DE MELO


Só quem já provou a dor
Quem sofreu, se amargurou
Viu a cruz e a vida em tons reais

Quem no certo procurou
Mas no errado se perdeu
Precisou saber recomeçar

Só quem já perdeu na vida sabe o que é ganhar
Porque encontrou na derrota algum motivo pra lutar

E assim viu no outono a primavera
Descobriu que é no conflito que a vida faz crescer

Que o verso tem reverso
Que o direito tem um avesso
Que o de graça tem seu preço
Que a vida tem contrários

E a saudade é um lugar
Que só chega quem amou

E o ódio é uma forma tão estranha de amar

Que o perto tem distâncias
Que esquerdo tem direito
Que a resposta tem pergunta
E o problema, solução

E que o amor começa aqui
No contrário que há em mim

E a sombra só existe quando brilha alguma luz.

Só quem soube duvidar
Pôde enfim acreditar

Viu sem ver e amou sem aprisionar
Quem no pouco se encontrou
Aprendeu multiplicar
Descobriu o dom de eternizar

Só quem perdoou na vida sabe o que é amar
Porque aprendeu que o amor só é amor
Se já provou alguma dor

E assim viu grandeza na miséria
Descobriu que é no limite
Que o amor pode nascer

Nem sempre estamos no confortável da vida, muitos momentos nós nos descobrimos como se tivéssemos no avesso.

É porque estamos vivos, a vida nos desarruma constantemente, vivemos administrando os avessos, os desconfortos, aquilo que nos desconsola, aquilo que nos faz ter medo, é essa experiência de enfrentamento constante.

No território em que hoje estou situado, preciso administrar fracassos, sucessos , administrar o conflito de ser quem eu sou.

Nesse tempo da QUARESMA a Igreja nos propõe um tempo diferente, de mais recolhimento, de jejum , oração... abstinência. O que tudo isso pode provocar em nós? O que um jejum pode fazer na minha vida? Qual a repercussão de deixar de comer carne por exemplo? De deixar de fazer uma coisa que eu gosto? Será que Deus fica contabilizando com seu caderninho? Anotando... ele hoje não comeu carne...ele hoje comeu... às vezes fico pensando que nós imaginamos que Deus é bem pior que nós. Já parou para pensar que a visão que nós temos de Deus é a mesma que nós temos da gente?

Nós fazemos isso, ficamos de olho se o outro fez, se não fez, porque nós somos mesquinhos, não é bom ter uma visão de Deus como um contabilista.

Qual a repercussão em mim do sacrifício?  O sacrifício tem que ter um significado profundo em mim.

Ao renunciar alguma coisa em minha vida nessa QUARESMA, espero que isso repercuta no meu jeito de ser.

Por que?

Porque estou educando a minha vontade, que é por onde as desgraças entram na nossa vida.

Uma vontade que não esteja fortalecida é a porta de entrada para tudo o que é maligno, porque o diabo gosta de gente safada, sem vontade, preguiçosa, descompromissada, irresponsável consigo mesmo, é essa gente que ele recruta,  é semeando nesses corações preguiçosos  sementes nocivas  que o diabólico vai crescendo  em nós.

A QUARESMA é um tempo de embate contra o DIABO.

No MONTE das nossas tentações, onde estou, onde você está, com essa vida dinâmica, desorganizando as estruturas  que nos sustentam, nós também precisamos estabelecer os embates com o diabo, que não tem o menor interesse na nossa felicidade, na nossa realização. Tudo o que ele  nos oferece é péssimo, de mau gosto, destrutivo. 

Nós estamos nesse monte onde a vida é difícil , porque os ventos são muitos, quanto mais alto agente quiser viver maior será a incidência de ventos fortes.

BUSCAR AS COISAS DO ALTO, isso requer muita disposição de enfrentar ventos fortes diariamente, BUSCAR AS COISAS DO ALTO é firmar os pés e fazer a experiência do desequilíbrio constantemente.

PREPARE-SE!

Se quiser viver a dinâmica do Cristianismo em você prepare-se  para enfrentar as suas contradições , prepare-se para ver os avessos dos seus sentimentos, para ter coragem de lhe dar com aquilo que você tem de mais pérfido que às vezes você esconde .

Prepare-se para retirar esse mantinho de santidade que colocamos em nós, para ver se agente esconde os nossos defeitos, para ver se agente esconde as nossas vergonhas, prepare-se para ter a coragem de olhar em si mesma  aquilo que você repudia tanto no outro, prepare-se para ter a honestidade  de identificar que aquilo que você crucifica tanto no outro é aquilo que você não é capaz de crucificar em você.

Buscar as coisas do alto é enfrentar os ventos fortes, porque quando Deus entra na vida de uma pessoa  os ventos são tão fortes é é aí  que as hipocrisias não suportam, caem todas por terra.

Não tem como estar no alto de um monte e não sofrer os problemas da ventania, porque é no alto do monte que as coisas acontecem.

A dinâmica da vida Cristã é desinstaladora, não dá para ficar querendo só paz e sossego, como? 

O ser humano não pode crescer no sossego, para nascer você precisa ser retirado do sossego, se não lhe dão um tapa na bunda para você chorar, não respira, é assim que agente nasce, absolutamente dependente do desconforto para poder acordar, se agente nasce e não nos dão esse tapa inaugural... 

A vida cristã é desconforto e é por isso que na QUARESMA nós recordamos os desconfortos, para ver se agente acorda.

DEUS está muito mais preocupado com a repercussão desses sacrifícios, ele não anota em seu caderninho, ele apenas dá um sorriso quando percebe que seu filho avançou.

Deus sabe de mim muito mais do que eu mesmo sei, por isso não dá para acreditar nesse Deus que contabiliza  o que fazemos, na quantidade que fazemos.

É preciso olhar que o que realmente agrada a Deus é quando ELE nos percebe fortalecido no alto desse monte, quando enfrentamos os ventos contrários, porque se nós quisermos essa proposta cristã de buscar constantemente as coisas do alto, teremos que nos preparar diariamente  para fazer os enfrentamentos.

A literatura não nasce de corações muito organizadinhos, muito bonitinhos, literatura nasce do caos, de corações imperfeitos, de corações insatisfeitos, que estão no alto desse monte ficando em pé enfrentado a ventania.

O bom artista é aquele que lida diariamente com seus conflitos, se para fazer arte é preciso sacrifícios, muito mais para ser Cristão.

Deus não tem caderninho, o que Deus tem é um coração que sente com o nosso, nada agrada mais um PAI do que ver o seu filho enfrentando os ventos contrários, é isso que dá orgulho, um campeonato vencido com luta, é uma corrida que se tem de trabalhar muito para chegar ao final.

Só quem já provou a dor viu a vida em tons reais.

DEUS quer saber o resultado final daquilo que chamamos religião.

Se agente não chega ao coração dessa religiosidade,  passamos a vida inteira nas regras, passamos uma vida tocando nas vestes do Senhor, sem chegar nele.

Existem pessoas que ficam presas nas regras religiosas, mas não chegam a experimentar a espiritualidade. Quando você percebe isso? Quando está lá no alto do monte e qualquer vento derruba.

A nossa inteireza é a maior riqueza humana, é quando você  percebe que está recrutando todos os seus recursos  para que tudo isso trabalhe ao seu favor, precisamos ser inteiro.

No alto do monte a hipocrisia não suporta os ventos, são as coisas do ALTO que nos despojam.

Não há nenhum movimento neste mundo de misérias. Sinto falta de conviver, de ter espaços na minha vida que me desinstalem mais, sinto falta de pessoas que me façam aprender, ou me façam esquecer o que preciso esquecer, apreender o que é novo.

Precisamos ser estimulados o tempo todo  para que essa vida fútil não tome conta de nós, para que agente não se acostume com a hipocrisia.

A medida que escalamos esse monte das coisas mais nobres, das realidades mais altas,  ali a nossa hipocrisia não vai suportar os ventos, aí fica desnudo, tira os excessos, ai você se olha no espelho com verdade, sem maquiagem, sem mascara, sem os recursos que usamos para esconder os nossos defeitos, sinto que subindo esse monte posso ter outras riquezas, assimilar outras belezas  que não são físicas mas espirituais.

Padre Fábio de Melo
Programa Direção Espiritual - 18/02/2015

sábado, 14 de fevereiro de 2015

BUSCANDO AS COISAS DO ALTO

Pérolas do amado Pe. Fábio de Melo – Direção Espiritual de 04/02/2015



A vida nos chama todos os dias.

Qual a voz que ouvimos quando a vida nos chama?

Ninguém é por acaso, nós escutamos a voz que é internalizada em nós.
Vocação a vida é uma voz que nos chama com vozes diferenciadas, tudo depende do contexto que estamos inseridos.

Nós obedecemos a quem tem autoridade afetiva sobre nós, autoridade afetiva é quem move as nossas emoções. É por isso que todos os dias de manhã precisamos ouvir a voz da vida a nos chamar.
Todo cristão tem uma meta a alcançar.

São Paulo nos propõe uma meta – buscai as coisas do alto. Mortificai os vossos membros. Agora rejeitai a ira e o furor, pois já vos desposaste do homem velho.

Deus não muda de idéia em relação ao que ele sente pela criatura, não importa se a criatura é boa ou má.

Deus não age no mau caratismo, Deus às vezes não age numa família por causa da conduta de uma família.

O sopro inaugural dado por Deus a nós nunca muda, ele não retira esse sopro jamais.
É o nosso trabalho do dia a dia fazer com que esse sopro que nos foi dado seja transparente para o outro.

O que pode ocultar a vida de Deus em nós? É o nosso jeito de ser.

Sempre peço a Deus a graça de ser transparente. Ofereço a Deus todos os dias o meu corpo, o meu caráter, o meu jeito de ser, para que ele possa agir em cima de tudo isso.
Deus não age no nosso mau caratismo, a nossa conduta muitas vezes impede o agir de Deus, ele nos deu a liberdade e nela ELE não interfere.

Deus não nos obriga a ser bons, a bondade será sempre será uma proposta. Deus não nos obriga a AMAR, mas se abrirmos para Deus essa vontade de ser transformada, dando a ELE o livre acesso aí sim, ELE pode agir nos reformando por inteiro.

Quando nós identificamos que o nosso caráter está configurado na pessoa de Jesus, quando já somos capazes de perceber a maldade que agente realiza e volta atrás e pede perdão e recomeça, quando somos honestos o suficiente com os sentimentos mesquinhos que nós alimentamos, quando somos honestos com a crueldade que nós praticamos uns com os outros, quando eu não coloco um mantinho de santidade em cima daquilo que é podre, quando somos honestos o suficiente, Deus tem uma oportunidade maravilhosa de transformar o mundo através de nós,  transformar o mundo através das nossas atitudes.

Antes de sermos religiosos, nós já deveríamos ser honestos, ainda que eu fosse um ATEU, eu não estou desobrigado da honestidade, isso é um valor humano, é uma questão cívica.  
Há uma coisa que eu não deixo de perseguir, a oportunidade de que Deus venha batizar as minhas misérias, venha derramar sobre elas uma água santa para que eu tenha coragem de olhar para elas de frente, e permitir que essas misérias me ensinem sobre mim.

Eu não quero morrer com essas misérias em mim. Eu perdi a oportunidade de ser simples, de ser companheiro, de ser amigo,  por causa dos meus interesses mesquinhos, só que eu não quero morrer assim, eu não quero morrer amarrado nas minhas misérias, não quero, porque acredito na minha vocação cristã, eu acredito na minha vocação humana.

O cristianismo só pode me fazer bem.

Que eu busque sempre e somente as coisas do alto.


Amém! 


Arrogância

A arrogância Se existe uma coisa que deixa o meu coração doído, entristecido é quando encontro, quando vejo, quando conheço, quando convivo...